2012

O poeta e escritor Alcides Buss, com a medalha “Paschoal Apóstolo Pítsica” e com o diploma de Personalidade Literária do Ano
Personalidade Literária de 2012: Poeta e Escritor Alcides Buss

ALCIDES BUSS é catarinense; professor, poeta, escritor e editor. Na década de 70, foi Diretor de Cultura da Prefeitura de Joinville e promoveu um trabalho que ficou conhecido em todo o Brasil. Concertos, recitais eruditos e espetáculos de dança passaram a ser levados às praças públicas, escolas e igrejas. São marcos dessa época, a criação dos varais literários, da Feira de Arte e Artesanato, a implantação do Museu de Arte e a instalação da Escola de Dança, que se transformou no maior festival de dança da América Latina. Em 1980, criou na UFSC uma das primeiras oficinas literárias do Brasil e hoje, coordena o Círculo de Leitura de Florianópolis. Nosso homenageado tem mais de vinte livros publicados e, este ano, a revista literária “Cordão”, editada por ele em Joinville na década de 70, foi objeto de estudos no Rio de Janeiro e em Brasília. Também este ano, publicou “Janela para o mar”, que recebeu o prêmio Fernando Pessoa da União Brasileira de Escritores e acaba de ser convidado para representar o Brasil no Festival Internacional de Poesia, no Peru.

░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░

O artista plástico Tércio da Gama, recebe das mãos de Joceli o prêmio de Personalidade das Artes Visuais do Ano.
 Personalidade das Artes Visuais de 2012: Artista Tércio da Gama

TÉRCIO DA GAMA nasceu em Florianópolis. É pintor autodidata, desenhista e um dos fundadores do Grupo de Artistas Plásticos de Florianópolis; participou de exposição itinerante ao lado de Cândido Portinari, Burle Marx e dos catarinenses Meyer Filho, Hassis e Martinho de Haro.  Em 1980 uma de suas obras, “Infância”, foi adquirida pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação. Em 2006 foi escolhido, entre milhares de artistas plásticos brasileiros para inaugurar, com uma individual, o Instituto Cultural Austregésilo de Athayde, da Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro. Este ano, ilustrou o livro “Treze Cascaes”, indicado pelo Vestibular 2012. De março a abril, expôs no MASC “Labirintos Particulares”; em junho, ilustrou o livro “Fantasia e (É) Realidade”, de Salim Miguel; em junho/julho apresentou a exposição individual “Bichos”, no Espaço Cultural do BRDE, sobre seus 55 anos de envolvimento com a arte. Também este ano foi personagem do livro sobre a representação artística de Florianópolis, de Sandra Makoviecky e também recebeu o prêmio “Franklin Cascaes de Cultura”.

░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░

O ator Renato Turnes recebe das mãos do ator Neno Brazil o prêmio “Waldir Brazil”, como Personalidade das Artes Cênicas do Ano.
Personalidade das Artes Cênicas de 2012: Ator Renato Turnes

RENATO TURNES é ator, diretor e produtor de teatro e cinema. Criou, em parceria com Jefferson Bittencourt, a “Trilogia Lugosi”, série de solos que exploram a linguagem do horror. Nesse projeto estreou em 2003, ”O Coração Delator”; em 2005,Outsider”e em 2010 “O fantástico homem que imita a si mesmo”. Em 2009,o projeto recebeu o Prêmio FUNARTE de Teatro. Como documentarista e pesquisador do teatro popular, já dirigiu três documentários: Sobre Atores e Palhaços, Riso Sobre Rodas e É Bucha! 40 Anos de Teatro Biriba. Coordena o projeto Baú do Biriba, financiado pelo Prêmio Carequinha 2011. É um dos criadores da La Vaca Productora de Arte, especializada em teatro. Em 2011, recebeu a Medalha do Mérito Cultural Francisco Dias Velho. Este ano, apresentou, como diretor de teatro, a peça “Kassandra”, dirigiu também Mi Muñequita (de Gabriel Calderón) e Emoções Baratas (ou, Eu Te Amo, Glória Pires), junto à Companhia Experimentus. Como ator, apresentou-se, com muito sucesso, no solo “Le Frigô”, de Copi, com direção de Vicente Concílio.

░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░

 Personalidade Musical de 2012: Soprano Cláudia Todorov

CLÁUDIA TODOROV teve seu debut em 1991, com a ópera “Flauta Mágica”, de Mozart e, desde então, vem atuando profissionalmente no Brasil e em diversos países. É solista do “Estúdio Vozes”, de Rute Gebler, desde 1993. Foi docente de “Técnicas de Expressão Vocal”, na UDESC, de 1994 a 1999, e produtora e cantora em diversas montagens da ópera “O Diretor de Teatro”, de Mozart. Em 1999, recebeu o troféu “Aldo Baldin”, como vencedora do I Concurso Nacional de Canto Lírico. Este ano, apresentou-se na “Maratona Cultural”, em março, no Palácio Cruz e Sousa; em abril, no IX Recital da série “Domínio Público”, no Teatro da Ulbro; em maio, em concerto da Orquestra Sinfônica de Santa Catarina, no Teatro Pedro Ivo; em julho, no V Congresso de Jovenes Músicos de Antofagasta, no Chile, ocasião em que ministrou Workshop de Técnica Vocal e Canto Lírico no Centro de Extensão da Universidade de Antofagasta e se apresentou em concerto com a Orquestra de Câmera e Coro da Universidade; em setembro, no espetáculo, “Árias Públicas”, proporcionado pela Funarte; em novembro, no “Piano Voce”, no Teatro SESC.

░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░ ░

A artista plástica Jandira Lorenz recebe do escritor Celestino Sachet e do presidente da Acla o prêmio “Academia Catarinense de Letras e Artes”, pelo Conjunto da Obra.
Prêmio ACLA – Conjunto da Obra de 2011: Artista Plástica Jandira Lorenz

JANDIRA LORENZ é graduada pela Fundação Armando Álvares Penteado, em São Paulo. Ministrou História da Arte e Desenho na UDESC da década de 70, até sua aposentadoria. Recebeu inúmeras premiações em exposições e salões de que participou. Um breve resumo de sua trajetória: em 1976, Mostra de Arte, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; 1978, 1ª Mostra do Desenho Brasileiro, Curitiba; 1980, Quatro Damas da Arte Catarinense, no MASC; 1982, 5º Salão Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro; 1983, Coletiva de Arte Catarinense no Salão Negro do Congresso Nacional, Brasília; 1985, Coletiva de Artistas Catarinenses no Hotel Nacional de Brasília. 1991, Mito e Magia na Arte Catarinense e 1994, Coletiva Inaugural da APLASC, ambas em Florianópolis; 1995, “A Ilha”, em Buenos Aires; 1996, participou da confecção das gravuras para o painel “Caminhos da Liberdade”, do Centro de Convivência da UFSC; 1997, “Serigrafia: Novos Rumos”, Galeria da UFSC; 2006, participação na confecção de vitrais para a igreja São Judas Tadeu, em Tubarão; 2011, Exposição das ilustrações para o livro “O Soldadinho de Chumbo”; 2012, exposição itinerante por Santa Catarina: “O Universo Onírico” de Jandira Lorenz.

←VOLTAR