Patrono da Acla

Paschoal Apóstolo Pítsica
O Apóstolo das Letras e da Cultura de Santa Catarina

 

Advogado, jornalista, professor, escritor, orador, líder de movimento cultural, Paschoal Apóstolo Pítsica – descendente de tradicional família de imigrantes da Grécia, que mantém expressiva colônia na Capital – nasceu em 26 de novembro de 1938, em Florianópolis e faleceu em 2003, também na capital. Falou o grego antes mesmo de aprender nosso idioma. Foi advogado por profissão, mas, como militante das Letras, manteve-se por mais de quatro décadas à frente da Cultura Catarinense.

Foi jornalista d’O Estado, de 1955 a 1963, professor de português, de elementos de economia, de legislação e de sociologia; vereador e presidente da Câmara Municipal de Maravilha entre 1970 e 1973.

Em 1957 liderou o Movimento Litoral, que entrou para a história literária de Santa Catarina e dirigiu a Revista Litoral de 1958 a 1960. Ingressou na Academia Catarinense de Letras em 20 de julho de 1985, onde ocupou a cadeira de número 25, presidindo aquela instituição por 15 anos (1988-2003). Foi aclamado presidente de honra da Academia São José de Letras e da Academia de Letras de Biguaçu.

Integrou o Conselho Estadual de Cultura e o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, tendo sido reeleito sucessivamente, por mais de 25 anos, para o cargo de Orador, e, em 1989 recebeu o título de Sócio Emérito daquele Instituto. Dirigiu, por mais de dez anos, a Associação Helênica de Florianópolis (Colônia Grega) em Santa Catarina até seu falecimento.

Recebeu a “Medalha Cruz e Sousa”, em 1994. Também nesse ano recebeu a “Medalha do Mérito Anita Garibaldi” do Governo do Estado, por relevantes serviços prestados a Santa Catarina. Recebeu também o troféu “Bernunça” da Fundação Franklin Cascaes, em 1997; o troféu “Manezinho da Ilha”, em 2000; a medalha “Antenágoras” do Instituto Grego de Buenos Aires; a medalha “Santa Catarina”, na categoria máxima, do Mosteiro de Alexandria, no Egito; a medalha “Giuseppe Garibaldi” da Associazioni Nazionale Veterani e Reduci Garibaldini (das mãos de Anita Garibaldi Jallet, bisneta de Anita e Giuseppe Garibaldi).

 

Obras

Defesas perante o Tribunal do Júri. Florianópolis: Oriente, 1983, 165p.

Juvêncio Martins Costa e sua obra poética Flores sem Perfume. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura, 1986, 104p.

A Capitania de Santa Catarina: alguns momentos. Florianópolis: Fundação Franklin Cascaes/Lunardelli, 1993, 201p.

Palavras e registros. Florianópolis: ACL, 1993, 304p.

A contribuição grega. Florianópolis: 1994.

Numa fonte cristalina. Florianópolis: Papa-livro, 1998, 488p.

Aquarelas gregas. Florianópolis: Garapuvu, 1997.

À altura de seu passado. Florianópolis: ACL, 2002, 130p.

Memória visual da colônia grega de Florianópolis. Florianópolis: Associação Helênica de Santa Catarina, 2003.