Rudi Bodanese

Rudi Bodanese | Cadeira nº 10 | Patrono: Martinho de Haro

Nasceu em São Lourenço d´Oeste, Santa Catarina, em 20 de outubro de 1954. Viveu lá até 1963, quando a família se mudou para Cascavel, no oeste paranaense, em busca de curso ginasial para seus irmãos mais velhos. É um pioneiro em exposições fotográficas em Pato Branco-PR, onde viveu, e sua câmera foi um instrumento de constatação e denúncia, retratando temas como menores abandonados e mendigos e a problemática indígena da reserva do município de Mangueirinha, sudoeste do Paraná. Criou em 1979 a mostra: Índios, Trabalhadores e Menores Abandonados, e a levou para a PUC de Porto Alegre e PUC Curitiba. Criou em 1982, a mostra: Sudoeste do Paraná, Machado, Foice e Enxada, abordando a colonização, desbravamento e os conflitos agrários daquela região. (Casa Romário Martins / Largo da Ordem, em Curitiba). Fez cursos com dezenas de grandes fotógrafos brasileiros, em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, e ainda com dois conhecidos fotógrafos americanos – Dean Collins e Louis Jay – e com o mexicano Hector Herrera. Reside em Florianópolis desde dezembro de 2002, onde mantém estúdio fotográfico. Além da fotografia comercial, social, de beleza e publicitária, desenvolve permanentemente a linguagem fotográqfica documental e de arte, possuindo grande banco de imagens de Florianópolis, litoral e interior catarinense. Amplia regularmente, seu acervo fotográfico dos temas, Casarões de Florianópolis, Personagens da Ilha, Praia do Campeche e Ponta do Coral. Em sua trajetória já lançou cinco obras fotográfico-literárias, todas elas voltadas para a memória de Pato Branco no Paraná. É especialista em fotografia familiar e retrato de pessoas. Aficcionado por literatura e internet, vive pesquisando linguagem que possibilitem a união entre texto e imagem.

←VOLTAR